O que você quer ser quando você crescer?

Todo mundo já ouviu a infame pergunta quando criança ou mesmo quando adolescente. Provavelmente já demos diversas respostas a essa pergunta e a maioria de nós não se tornou nada do que disse que seria.

Qual faculdade escolher?

No ensino médio essa pergunta vem assombrar os jovens na forma de “qual curso você vai fazer?”.

Jovens muitas vezes escolhem um curso superior sob a pressão de pais ou familiares, ou simplesmente porque acham que terão uma profissão altamente rentável, sem se preocupar com o quanto gosta ou com a facilidade que tem com determinados conteúdos. Não é atoa que muitos desistem logo no primeiro ano de faculdade, quando descobrem que não conseguirão aguentar aquela área nem mesmo por um ano (quem dirá pela vida toda).

O fato é que parece assombroso ter de escolher hoje o que você vai fazer para o resto da vida. O que me remete ao filme “Bee movie – a história de uma abelha” no qual o protagonista observa uma lista de atividades na parede e diz algo como “então eu vou ter que escolher uma coisa para fazer pelo resto da minha vida?”

“Fazer o que gosta”

Sem dúvidas, se fizermos o que gostamos teremos muita felicidade. O trabalho jamais será penoso se amamos o que fazemos. Quando a gente faz o que gosta a gente consegue trabalhar mesmo sem dormir, mesmo sem comer, mesmo no fim de semana, mesmo até de noite.

Mas não tem nada mais desesperador do que ouvir que devemos fazer aquilo que gostamos. Se todos no mundo fossem fazer somente aquilo que gostam me arrisco a dizer que muitas funções ficariam desocupadas. Não que haja trabalhos de maior ou menor valor, mas uma sociedade não pode se dar ao luxo de ter somente pessoas que só fazem aquilo do que gostam. A gente vai ter de fazer aquilo que não gostamos de tempo em tempo, algumas pessoas mais, algumas pessoas menos.

Como descobrir minha vocação?

Anteriormente conhecida como orientação vocacional, e hoje com o nome mais apropriado de ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL, existe esta prática do psicólogo em auxiliar um indivíduo a escolher entre diferentes cursos de faculdade, ou diferentes empregos, ou entre grandes áreas. A orientação profissional pode ajudar alguém até a mudar totalmente de ramo, ou ajudar uma pessoa aposentada a buscar uma nova função, um novo significado para a vida.

O fato é que esta escolha está relacionada com o lado emocional do indivíduo. Numa orientação profissional a pessoa descobre sua identidade, conhece a si mesmo, se organiza de acordo com suas características e com o meio em que vive. Também aprofunda seus conhecimentos sobre a profissão, mercado de trabalho, áreas de atuação, etc.

Para quem é a orientação?

Como dito anteriormente, ela serve para:

  1. Jovens em dúvida de qual carreira iniciar
  2. Universitários formados (ou quase) escolherem um campo de atuação
  3. Profissionais descontentes com a profissão/carreira e que querem mudanças
  4. Pessoas que por qualquer motivo desejam encontrar uma colocação profissional adequada às suas características pessoais

Para saber mais sobre, ou para buscar orientação profissional entre em contato.

Um forte abraço e muito sucesso a todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s