Que o amor não é posse a gente sabe. Agora como proceder?

A gente maratona aquela série, repete mil vezes aquela música, senta perto daqueles amigos. É impossível não querer ficar próximo do que a gente ama. E na hora do amor, nas questões do coração é normal isso se intensificar.

A gente esquece que estar perto do que ama só é bom porque muitas vezes ficamos longe. Aí a gente quer ficar perto o tempo tudo, em busca de um estado indiferenciado de presença: só presença, sem ausência.

A presença só existe porque existe também a ausência. Se tudo fosse sempre presente o tempo todo não haveria possibilidade pra pensarmos sobre isso! A presença existe em função da ausência, e vice-versa. Só queremos perto alguém que está longe!

Sempre perto, é sempre seguro, é constância constante, é negação da mudança do estado estado de coisas. Mas amar é querer perto, e pra querer perto é preciso distancia. Amar é querer conhecer, e só quer conhecer quem tem curiosidade e aceita o mistério.

Só consegue amar quem consegue suportar a distância e o mistério.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s