O convite ao divã

O desconforto vem da necessidade de ser forte o tempo todo. No divã você está vulnerável, por estar deitado, por não ver o analista. Por ter somente você como fonte da sua fala, por não basear a fala nas reações do analista ou em qualquer outra distração.

O convite ao divã é um contrato entre dois para um se fazer ouvido da forma mais livre possível. É uma honra ser convidado a falar consigo mesmo na presença de quem pode te fazer ouvir-se.

O analista precisa conhecer o divã, ter-se colocado por muito tempo nessa posição, para então estar apto a colocar os outros ali.

A sensibilidade vem da experiência, e só quem já esteve no mesmo lugar que você consegue compreender que mesmo assim é impossível te dar as respostas. Só quem já esteve na mesma posição sabe como guiar para alcançar as respostas por si.

Por isso não existe auto análise, não existe estudar psicologia para se entender. Existe se criar no divã, um processo que será único para cada ser humano. Por isso não há bom profissional que não considere a necessidade de estar também na posição vulnerável de analisando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s